sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Espiritualidade e Fé




Lugares sagrados

Peregrinos fazem jornadas espirituais pelo mundo

Peregrinações fazem parte de todas as religiões. Por todo o mundo, milhões de pessoas buscam os locais sagrados para pedir, agradecer ou confirmar a sua fé, numa jornada tanto física quanto espiritual.

Percorrer o Brasil é encontrar, em pequenas cidades, grandes santuários de devoção. Para se ter uma ideia, 344 cidades fazem parte de roteiros religiosos no país, segundo o  Ministério do Turismo. A maioria se relaciona ao catolicismo.

Há quase três séculos, quando uma rede de pescadores resgatou a imagem de uma santa nas águas do rio Paraíba, e os peixes vieram em abundância, não se poderia imaginar que ali nasceria o Santuário Nacional Nossa Senhora Aparecida. Atualmente, o conjunto formado pela basílica, memorial e pontos turísticos chega a receber 10 milhões de devotos – a grande maioria em 12 de outubro, dia da Padroeira do Brasil.

Do alto do Corcovado, no Rio de Janeiro, o Cristo Redentor tornou-se um santuário católico em 2006. A estátua de 40 metros, que levou cinco anos para ser construída, é reconhecida internacionalmente como um símbolo do Brasil. Chega a receber dois milhões de visitantes nacionais e estrangeiros por ano.

A fé também conduz os romeiros à Guaratinguetá (SP), onde nasceu o primeiro santo brasileiro, Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, canonizado há seis anos. Entre as suas relíquias, estão as pequenas pílulas de papel, “para serem usadas por pessoas de fé, como remédio para os males do corpo e da alma”.

Já o nordeste apresenta belos santuários formados por igrejas centenárias. Neles, ocorrem  procissões, festas e peregrinações. A história da dedicação do Padre Cícero aos sertanejos e seus considerados milagres arrebatam milhares de romeiros a Juazeiro do Norte, todo dia 2 de novembro.  Já no Sul, o singelo santuário de Santa Paulina, em Nova Trento (SC) relembra a trajetória da amorosa madre, reconhecida pelo milagre de cura do tumor de uma criança.

A fé também motiva peregrinos de inúmeros países a visitarem locais sagrados pelo mundo. A Basílica de São Pedro, na Itália, é visitada por 7 milhões de pessoas por ano. Ícone do catolicismo, a igreja-sede das celebrações dos papas também encanta pela arquitetura majestosa e as obras renascentistas de Rafael e Michelangelo, por exemplo. Outro destino católico importante é Santiago de Compostela, na Espanha, reconhecido pelas multidões de peregrinos que percorrem os caminhos de Santiago.

No Oriente Médio, o Muro das Lamentações, em Jerusalém, é o destino de 5 milhões de peregrinos anualmente. É o último vestígio de um templo judaico construído no século X a.C. Mesmo destruído pelos romanos em 70 d.C, consolidou-se como lugar sagrado para os judeus ao longo dos séculos.

Já os muçulmanos consideram uma obrigação peregrinar pelo menos uma vez na vida à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita, onde nasceu e morreu Maomé. Depois disso, recebe o título de hadj (ou santo). Por isso, os muçulmanos conservam a tradição de rezarem voltados para Meca.

Mas é no extremo oriente que se encontram os lugares sagrados mais visitados do planeta. O Santuário Meiji e Templo Sensoji, no Japão, construídos há mais de 100 anos em homenagem ao Imperador Meiji e à Imperatriz Shoken, acolhe nada menos que 30 milhões de pessoas por ano, em suas construções, jardins e floresta.

Na Índia, o templo de cúpulas douradas Kashi Vishwanath é um dos mais sagrados para o hinduísmo. Mais de 20 milhões de fiéis o procuram, inclusive para banhar-se no vizinho rio Ganges, purificando assim as suas almas, segundo a crença.

Fonte: Nancy Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário